Temos muito o que comemorar.
  Este time faz parte da história do CEL®LEP

  O CEL®LEP já conta com a segunda geração de seus funcionários

  Em plena expansão, novas unidades, novos funcionários...

  Há 35 anos o CEL®LEP vem ajudando seus alunos a conquistar seus sonhos...

  Uma história de sucesso.

  A journey through 35 years of teaching and learning at CEL®LEP.

Uma das características dos funcionários do CEL®LEP é o tempo de permanência na Empresa. Muitos estão aqui há mais de 25 anos!!! Para eles, trabalhar não significa apenas desempenhar suas funções, mas viver intensamente sua posição. Por isto, entenda-se compartilhar sentimentos, crescer, enfrentar novos desafios, fazer amigos e vibrar com o sucesso do Grupo. Tamanha dedicação de funcionários só pode ser compreendida quando se conhecem a postura profissional e o caráter dos seus dirigentes. Gerar oportunidades de crescimento, reconhecer valores e respeitar pessoas em todos os níveis hierárquicos são atitudes que sempre prevaleceram dentro do CEL®LEP.


Na foto, da esquerda para a direita, estes funcionários e seus depoimentos. Entrevistamos o funcionário mais antigo de cada departamento da empresa.

Sylvia Fadel é professora desde 1975. "Tive a experiência de trabalhar como coordenadora, mas adoro dar aulas, e o CEL®LEP respeitou minha posição. Meus melhores amigos foram conquistados dentro da escola."

Nilma Pereda está na escola desde 1975 e atualmente é coordenadora do curso de espanhol. "Ingressei como professora de inglês, passei pelo treinamento, coordenação e o mais recente desafio foi a coordenação do curso de espanhol. Apesar da responsabilidade dos cargos, nunca tive uma sensação de peso, pois tenho prazer no que faço. Existe uma relação de muita seriedade e companheirismo entre todos no CEL®LEP."

Maria Luiza de Almeida Ribeiro Artacho iniciou em 1969 como secretária no CEL®LEP Brigadeiro e, atualmente, gerencia a unidade. "O CEL®LEP faz parte da minha vida; acompanhei todas as etapas do seu crescimento, tornou-se minha segunda família. É tão bom que fica difícil me afastar. Tenho um vínculo muito grande com a escola..."

Vita Mesniks é a coordenadora do curso de português para estrangeiros, ingressou no CEL®LEP em 1971. "Fui visitar uma amiga na unidade Rebouças e acabei ficando. Como parte do treinamento, deveria assistir a uma aula. O professor não pôde comparecer e acabei dando a minha primeira aula. O que me mantém há tanto tempo na escola são os amigos que conquistei. Formamos um grupo muito unido."

Sônia Regina L. Simonetti trabalha na área de suprimentos do CEL®LEP, mas começou como secretária, em 1974. "Por ser muito tímida, no início, estava receosa em trabalhar com o público, mas o professor Walter me encorajou e disse que eu venceria esta limitação, e foi o que aconteceu. Aprendi que o importante é dar sempre o melhor e tratar os alunos sem discriminação, todos são igualmente importantes."

Angélica Caparroz Lopes
foi a segunda coordenadora do Cel®Lep. "Tive o privilégio de ser treinada pessoalmente pelo professor Walter. Trabalhando no CEL®LEP desde 1969, posso afirmar que o clima aqui é muito amigável. Existe um grau de tolerância humana que ressalta o lado bom das pessoas e isto é imprescindível para o bom relacionamento. Tenho muito orgulho de fazer parte desta história."

Eloísa Odila Paes Gencia exerce a função de secretária desde 1975. "Já trabalhei em várias unidades e sei que aqui existe calor humano e respeito profissional. Não basta ter um bom salário, o fundamental é o clima acolhedor no qual a gente se sinta bem".

O sul africano, Nasen J. Peters é funcionário do CEL®LEP desde 1970. Sua primeira atividade foi como professor de inglês, passou pela coordenação e hoje está na equipe de treinamento. "Admiro o CEL®LEP por estar sempre se aperfeiçoando para oferecer o que existe de melhor aos alunos. Honestidade e seriedade fazem parte do dia-a-dia nas unidades. O tempo passou rápido..."

José Milton Negrão Silva, ainda adolescente, com 17 anos, começou a trabalhar no CEL®LEP. "Em 1977 eu trabalhava como técnico de manutenção. Então, cursei engenharia elétrica e não só consertava como também fazia várias adaptações nos equipamentos do Laboratório, pois a importação tornou-se inviável. Considero o CEL®LEP a extensão da minha família."

Orlando Pedroso tem orgulho de dizer que trabalha há 30 anos no mesmo local. "Conheço todo mundo e todo mundo me conhece. Já fui auxiliar de limpeza, jardineiro, guarda... Sou aposentado, mas continuo trabalhando no CEL®LEP, porque o professor Walter gosta de me ver por perto, pois posso ser útil."

Maria Vieira da Silva, a Zezé, trabalha no CEL®LEP há 26 anos: "Daqui só saio quando me aposentar. Faço limpeza na unidade Colômbia e me dou bem com todo mundo. O pessoal é gente fina, mesmo. Ter patrão como o professor Walter é muito bom, me sinto muito querida por todos, até pelos alunos."

Doroti Ferreira de Moraes Souza foi secretária quando ingressou no CEL®LEP, em 1973, e atualmente gerencia a unidade Paulista. "O CEL®LEP nos incentiva a buscar novas soluções e reconhece nosso trabalho. Não me sinto entediada, porque gosto muito do que faço. Trabalhar diretamente com o professor Walter foi um grande aprendizado e muito compensador."



  Se você perdeu, aqui tem mais 80 páginas para navegar...

  O que você gostaria de ver na próxima edição?

  Quem faz o CEL®LEP Te@m?